«« Voltar
Conectando saberes no IFRS Campus Restinga: o estudo da língua como vetor para a descolonização da cultura
Protocolo do SIGProj:   350837.1931.115937.12032020
De:01/05/2020  à  30/11/2020
 
Coordenador-Extensionista
  Milena Silvester Quadros
Instituição
  IFRS - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul
Unidade Geral
  Restinga - Câmpus Restinga - Extensão
Unidade de Origem
  EXT - Extensão
Resumo da Ação de Extensão
  O Núcleo de Estudos Afro-brasileiros e Indígenas (NEABI) do Campus Restinga propõe a construção de um espaço permanente de contato e conhecimento de línguas tradicionais. Tem por objetivo proporcionar a comunidade acadêmica, conhecer e interagir com línguas e culturas deslocadas e pouco conhecidas, bem como oportunizar o reavivamento e o reconhecimento dos diferentes repertórios que constituem a cultura afro-indígena no Rio Grande do Sul. Tendo aspectos da oralidade e da escrita em línguas guarani (tupi-guarani), iorubá (nigero-congolesa) e Suaíli (banto) como centrais, o projeto visa possibilitar a troca de saberes entre as línguas tradicionais e os idiomas oficiais estudados no curso de Licenciatura em Letras: o português e o espanhol. O projeto propõe uma reflexão decolonial sobre os movimentos de apagamento das culturas nativas e de sobreposição dos referentes da cultura ocidental. O projeto tem o objetivo, ainda, de oportunizar a simetrização dos conhecimentos da grade curricular do curso de Letras aos conhecimentos dos estudantes que ingressaram no IFRS Campus Restinga através do Processo de Ingresso Especial para estudantes indígenas. Outro objetivo do curso é dialogar com os movimentos comunitários próprios do bairro Restinga que visam resgatar idiomas ancestrais do povo afro-brasileiro.
Palavras-chave
   cultura afro-brasileira e indígena, Estudos decoloniais, Suaíli, iorubá, Línguas Guarani
Público-Alvo
  Comunidade acadêmica, comunidade da Restinga e comunidade externa em geral
Situação
  Atividade COM RELATORIO FINAL
Contato
  
«« Voltar