«« Voltar
Efeito das mudanças climáticas na distribuição de trepadeiras da família Asteraceae endêmicas da Mata Atlântica Sul
Protocolo do SIGProj:   327479.1610.254963.12032019
De:30/04/2019  à  29/02/2020
 
Coordenador-Extensionista
  Maria Cláudia Melo Pacheco de Medeiros
Instituição
  IFRS - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul
Unidade Geral
  Sertão - Câmpus Sertão - Pesquisa
Unidade de Origem
  P&I - Pesquisa e Inovação
Resumo da Ação de Extensão
  A Mata Atlântica é um domínio biogeográfico que apresenta altas taxas de diversidade e endemismo biológicos, apesar do histórico de intensa devastação que o reduziu a fragmentos florestais. Dentre as diversas formas de vida que o domínio atlântico abriga, se destacam as plantas trepadeiras, um grupo de grande importância ecológica, mas ainda pouco estudado, especialmente nos estados do Sul do Brasil. Além das ameaças relacionadas à perda de habitat pelo desmatamento, essas plantas podem sofrer os efeitos das mudanças climáticas globais, que potencialmente alteram os padrões de sobrevivência e ocorrência das espécies na região. Diante disso, o presente projeto objetiva avaliar o efeito das mudanças climáticas futuras na distribuição geográfica de Mikania paranensis Dusén e Mikania orleansensis Hieron. (Asteraceae), duas espécies de trepadeiras endêmicas da Mata Atlântica do Sul do Brasil. Para tanto, será elaborado um banco de dados de localidades georreferenciadas de ocorrências conhecidas para cada espécie. Os bancos de dados servirão como base para as análises de modelagem da distribuição potencial atual dos táxons. Em seguida, as distribuições das espécies serão projetadas em diferentes cenários climáticos futuros. Os modelos obtidos para as espécies serão comparados a fim de se verificar coincidências e divergências nas previsões obtidas.
Palavras-chave
   Mata Atlântica, modelagem de distribuição de espécies, mudanças climáticas, trepadeiras
Público-Alvo
  
Situação
  Atividade UNIDADE GERAL
Contato
  
«« Voltar