«« Voltar
Raízes e Frutos: uma vivência nas comunidades caiçaras da Península da Juatinga - Parati/RJ
Protocolo do SIGProj:   305695.1680.65591.15052018
De:05/07/2018  à  05/07/2020
 
Coordenador-Extensionista
  Leticia Parente Ribeiro
Instituição
  UFRJ - Universidade Federal do Rio de Janeiro
Unidade Geral
  CCMN - Centro de Ciências Matemáticas e da Natureza
Unidade de Origem
  IGEO - Instituto de Geociências
Resumo da Ação de Extensão
  O projeto Raízes e Frutos atua há dez anos na Península da Juatinga junto às comunidades tradicionais caiçaras. A área, localizada no município de Paraty (RJ), está inserida na Reserva Ecológica da Juatinga (REJ) e na Área de Proteção Ambiental (APA) Cairuçu. A região tem um histórico de conflitos envolvendo grilagem de terras, especulação imobiliária e expansão de atividades turísticas e, atualmente, as Unidades de Conservação passam por um processo de recategorização. Tais processos transformam os modos de vida e ameaçam os territórios caiçaras e têm tido como consequência, entre outros, a migração das populações caiçaras para as áreas urbanas. A proposta do projeto é realizar uma vivência junto às comunidades caiçaras da região buscando integrar o conhecimento acadêmico e o saber tradicional. Aproximando visões de mundo diferentes que, no entanto, são igualmente fundamentais para a preservação do meio-ambiente e da cultura local, o projeto busca valorizar e salvaguardar o patrimônio imaterial caiçara, contribuindo para sua visibilidade e para seu fortalecimento político autônomo. O projeto conta com uma equipe interdisciplinar e desenvolve ações e atividades de educomunicação e de registro da memória cultural, trabalhando nas perspectivas da agricultura ecológica, da bioarquitetura e da educação ambiental.
Palavras-chave
   Patrimônio Imaterial, Cultura Caiçara, Populações Tradicionais, Permacultura
Público-Alvo
  O público-alvo do projeto inclui os moradores, lideranças e mestres griôs das comunidades caiçaras, além de movimentos sociais e organizações não governamentais atuantes na região. O projeto também focaliza o segmento infantil, sobretudo as crianças das comunidades matriculadas nas escolas municipais do Pouso da Cajaíba, da Praia do Calhaus e da Praia do Sono. As populações tradicionais caiçaras são consideradas uma categoria de povos tradicionais do Brasil no que diz respeito às suas práticas culturais e costumes, sendo reconhecidas através do Decreto 6.040, que institui a Política Nacional de Desenvolvimento Sustentável dos Povos e Comunidades Tradicionais. São comunidades de característica rural, com população composta basicamente por famílias de baixa renda, subempregados ou empregados informais. As praias do Pouso da Cajaíba, do Calhaus e do Sono estão entre as mais populosas da REJ e nelas estão instaladas as escolas nas quais o projeto atua. Já a Praia Grande da Cajaíba tem sido alvo, ao longo dos últimos vinte anos, de um intenso processo de grilagem de terras e, hoje, na praia, só residem duas famílias resistentes (ainda cultivando muitas práticas características da cultura local). Por fim, as praias da Sumaca, Martim de Sá e do Cairuçu das Pedras são localidades mais isoladas, onde os moradores também continuam a praticar muito do que é considerado como parte da cultura tradicional.
Situação
  Atividade EM ANDAMENTO
Contato
  
«« Voltar