«« Voltar
Projeto Brincante
Protocolo do SIGProj:   301521.1680.127246.15052018
De:05/07/2018  à  05/07/2019
 
Coordenador-Extensionista
  Márcia Fajardo de Faria
Instituição
  UFRJ - Universidade Federal do Rio de Janeiro
Unidade Geral
  CCS - Centro de Ciências da Saúde
Unidade de Origem
  EEFD - Escola de Educação Física e Desportos
Resumo da Ação de Extensão
   A implantação do projeto se deu na sala de espera dos ambulatórios do IPPMG-UFRJ em agosto/2006, com oficinas temáticas, referendadas pela Psicanálise e Psicomotricidade, nomeadas como: Movimento, Dramatização, Jogos e Artes Plásticas. Têm como foco minimizar a angústia expectante das crianças que aguardam por atendimento. Em janeiro/2008, com a inauguração da quimioteca, ampliou-se o espaço de atuação e, em 2009, estendeu-se, também, às crianças internadas na enfermaria de Hematologia. Atualmente, em casos especiais, o projeto intervém na UTI. Ao vivenciar e repetir de forma lúdica experiências traumáticas, vinculadas aos cuidados médicos, a criança encontra meios de tratar da própria angústia ao ser o agente dessa ação. Acreditamos que o brincar nesse ambiente pode funcionar como um ato de criação e de domínio simbólico sobre o impossível de se controlar, a invasão medicamentosa sobre corpos ainda “pré-maturos”. O espaço brincante não é meramente recreativo, nele, os alunos da graduação, atuam como facilitadores do brincar, com uma proposta não diretiva, de acolhimento e escuta diferenciada, preocupando-se com a singularidade das crianças. Em 2018 duas mães apresentaram proposta, que foi acolhida como mais uma das ações brincante. Trata-se de um grupo de conversa, realizado quinzenalmente com familiares das crianças da enfermaria H. Esse trabalho objetiva minimizar a angústia dos familiares, trazendo para o debate suas expectativas, dúvidas e ansiedades frente ao tratamento oncohematológico de seus filhos. O projeto, ao transformar o ambiente hospitalar em um espaço lúdico, modifica as relações de afeto e cria saídas possíveis para escoar o mal-estar imposto pelas doenças.
Palavras-chave
   Brincar-criança-hospital-doenças oncohematológicas
Público-Alvo
  O público alvo é, na maioria, composto por crianças de um a treze anos de idade, chegando na atualidade, a cerca de 60 atendimentos semanais na sala de espera dos ambulatórios e cerca de 40 atendimentos na sala de quimioterapia e enfermaria H. Dessa forma, em torno de 100 crianças passam pelas atividades desenvolvidas pelo projeto semanalmente.
Situação
  Atividade COM RELATORIO PARCIAL
Contato
   O contato se dá pelo e-mail projetobrincante15@gmail.com
«« Voltar