«« Voltar
Transtorno mental, estigma e ressocialização em um município do Rio de Janeiro
Protocolo do SIGProj:   274332.1484.249555.31052017
De:29/06/2017  à  29/06/2018
 
Coordenador-Extensionista
  Lucia Abelha Lima
Instituição
  UFRJ - Universidade Federal do Rio de Janeiro
Unidade Geral
  CCS - Centro de Ciências da Saúde
Unidade de Origem
  IESC - Instituto de Estudos de Saúde Coletiva
Resumo da Ação de Extensão
  No Brasil, o movimento de reforma psiquiátrica é caracterizado pela saída dos pacientes do hospital para a comunidade. Porém, o estigma e as atitudes negativas em relação às pessoas com transtorno mental são uma das principais barreiras que impedem a inclusão social dos pacientes. As atitudes negativas em relação a esses indivíduos são responsáveis em grande parte pelas dificuldades encontradas em sua recuperação. Além disso, o auto-estigma, ou seja, o preconceito do próprio paciente em relação aos transtornos mentais e ao tratamento psiquiátrico faz com que esses não procurem os serviços e os profissionais da área, agravando os sintomas e colocando os mesmos em risco. Os profissionais da atenção básica possuem uma posição estratégica por sua proximidade com a população assistida e, portanto, é fundamental conhecer suas atitudes, negativas e/ou positivas em relação aos pacientes, assim como promover campanhas de esclarecimento para estudantes, profissionais e população geral. O objetivo desse projeto é trabalhar o conceito de saúde e transtorno mental com a população local, com os serviços de saúde e com as escolas do município de Carmo, discutindo os mitos e verdades a cerca o tema.
Palavras-chave
   Estigma social, Reforma psiquiátrica, Atitude
Público-Alvo
  projeto realizará atividades de extensão em pesquisa com os: alunos de graduação, pacientes desinstitucionalizados e residentes em Serviços Residenciais Terapêuticos, Cuidadores do SRT, Profissionais de Saúde, escolas, população da área e alunos de graduação.. Para alcançar os objetivos faremos parceria com o Núcleo Estadual de Saúde Mental e com o Programa Municipal de Saúde Mental.
Situação
  Atividade CONCLUÍDA
Contato
   Os alunos inseridos no projeto, assim como outros alunos de graduação do IESC realizarão as ações descritas acima, escreverão relatórios parciais, artigos em periódicos e monografias no final do curso. Participarão também da discussão das ações que ocorrerão semanalmente com os coordenadores da equipe executora.
«« Voltar