«« Voltar
Morar, Trabalhar e Viver no Centro: mobilizações e ações de promoção do direito à cidade na área central do Rio de Janeiro
Protocolo do SIGProj:   269567.1484.67839.17052017
De:31/05/2017  à  29/12/2018
 
Coordenador-Extensionista
  Orlando Alves dos Santos Junior
Instituição
  UFRJ - Universidade Federal do Rio de Janeiro
Unidade Geral
  CCJE - Centro de Ciências Jurídicas e Econômicas
Unidade de Origem
  IPPUR - Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional
Resumo da Ação de Extensão
  O objetivo geral do presente projeto é mapear e dar visibilidade as situações de moradia e trabalho na região central; denunciar situações de violações de direitos sociais e promover ações de exigibilidade do direito à cidade na área central do Rio de Janeiro, com foco na questão das ocupações urbanas, dos cortiços e dos trabalhadores informais (camelôs). A cidade do Rio de Janeiro vem sofrendo um processo de renovação da sua área central por meio da implementação de diversas intervenções do poder público municipal, entre as quais se destacam a Operação Urbana Porto Maravilha, a implantação do Veículo Leve sobre Trilho – VLT, o “choque de ordem” na ordenação do trabalho dos trabalhadores informais, e a política de segurança “Lapa Presente”. Tais projetos tem como marca central a subordinação da cidade aos interesses do mercado, em especial do mercado imobiliário e corporativo, e a implementação de experimentos de privatização da gestão dos serviços urbanos, como no caso da Parceria Público-Privada do Porto Maravilha e do VLT do Centro. A análise destas intervenções indica o risco de diversas violações de direitos humanos e graves impactos sobre diversos grupos populares que dependem do acesso à área central para sua reprodução social, como os moradores de cortiços e das ocupações, e os camelôs. É neste sentido que se justifica um projeto de extensão que tenha como foco a dessas situações de violação e a promoção do direito à cidade, tendo como foco a área central do Rio de Janeiro.
Palavras-chave
   cortiços, moradia, trabalho ambulante, centro, Rio de Janeiro
Público-Alvo
  O público-alvo do projeto se divide em três grupos: i) moradores de cortiços de toda área central da cidade, visto que um dos objetivos desse projeto é mapear os cortiços existentes na região e as condições de vida de sua população, completamente invisibilizada no município e; ii) trabalhadores ambulantes que atuem no centro, com enfoque de gênero, ou seja, privilegiando as mulheres ambulantes e lançando luz sobre suas condições de trabalho; (iii) lideranças dos movimenbtos populares, em especial vinjculados aos movimentos de moradia e aos camelôs.
Situação
  Atividade CONCLUÍDA
Contato
   Boletim Semanal e Assessoria de Comunicação Breno Procópio: comunicacao@observatoriodasmetropoles.net tel: +55 (21) 3938-1950/1932
«« Voltar