«« Voltar
Cuidado psicossocial a dependentes químicos e portadores de transtorno mental
Protocolo do SIGProj:   199364.955.10243.17032015
De:30/04/2015  à  30/12/2015
 
Coordenador-Extensionista
  Marcela Martins Furlan
Instituição
  UFMT - Universidade Federal de Mato Grosso
Unidade Geral
  ICS/Campus Sinop - Instituto de Ciências da Saúde/Campus Sinop
Unidade de Origem
  CENF - Curso de Enfermagem
Resumo da Ação de Extensão
  O projeto O projeto propõe desenvolver o Cuidado Psicossocial (Cuidado de Enfermagem Integral em Saúde Mental) articulando a prevenção do transtorno mental, a promoção da saúde mental e a reabilitação psicossocial de portadores de transtorno mental e dependentes químicos. Serão incluídos pacientes do CAPS de Sinop com esta demanda e que vivem marginalizados e em condições de vulnerabilidade social, que já desenvolveram transtorno mental/ dependência química ou que convivem com este risco, mas podem transformar seu cotidiano se obtiverem a devida assistência e rede de apoio. Pretende-se estabelecer estratégias eficazes de cuidar da saúde mental da população promovendo encontros semanais/permanentes, permeados por demais setores da saúde, assistência social e meio jurídico, intersetorialmente (o projeto efetuará parcerias). Para isso, serão desenvolvidos grupos de Ajuda Mútua, atendimentos psicossociais individuais na sede e visitas domiciliares, com objetivos pré definidos. Em cada atividade será desenvolvida a abordagem psicossocial não diretiva de origem humanista (Carl Rogers) para apoio e aconselhamento, psicoeducação de origem progressita/ crítica, assistência integral de enfermagem, inserção laboral e escolar dos sujeitos e devidos encaminhamento (acesso à saúde mental, saúde, assistência social e demais sistemas convenientes).
Palavras-chave
   cuidado psicossocial, vulnerabilidade social, enfermagem psiquiátrica, dependência de álcool e outras drogas, inserção social
Público-Alvo
  Mulheres, normalmente mães, crianças (masculino e feminino)e idosas - inicialmente o grupo de ajuda mútua foi aberto para ambos os sexos, mas não obtivemos adesão de homens e as estratégias foram direcionadas para as mulheres; entretanto, as visitas domiciliares se direcionam à família, abarcando também os homens. Os sujeitos devem ser considerados em situação de vulnerabilidade sociao (características demográficas e econômicas precárias, exposição a substâncias psicoativas, falta de rede de apoio, situação de morbidade, falta de saneamento básico, ambiente insalubre, etc), encaminhados ao projeto por centros de atenção em saúde mental, assistência social, unidades de saúde ou por demanda espontânea (comprova-se a situação de vulnerabilidade nas visitas domiciliares). Normalmente desenvolveram transtorno mental ou dependência química ou convivem com este risco.
Situação
  Atividade EM ANDAMENTO
Contato
   marcelaufmt@gmail.com
«« Voltar