«« Voltar
Análise metabolômica de Glycine max (L.) Merrill, variedades convencional BRS284 e transgênica DM 6563 Intacta RR2 PRO, submetidas a estresse provocado por Lepidóptera
Protocolo do SIGProj:   193503.847.210783.04122014
De:16/03/2014  à  16/03/2018
 
Coordenador-Extensionista
  Luciana Marçal Ravaglia
Instituição
  UFMS - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Unidade Geral
  INQUI - Instituto de Química
Unidade de Origem
  PPGQ - Programa de Pós-Graduação em Química
Resumo da Ação de Extensão
  A soja é a principal commodity agrícola do Brasil e atualmente representa 50% de todo o agronegócio do país. O Brasil é também considerado o maior exportador de soja e o segundo maior produtor mundial. Esses índices somente são alcançados devido aos altos padrões de produtividade obtidos pela cultura da soja no país. Os ótimos resultados do agronegócio da soja, no entanto, são dependentes de vários fatores que devem ser cuidadosamente avaliados e controlados, entre eles os insetos associadas a essa cultura. Dentre os insetos que podem ser considerados pragas nas lavouras, principalmente em áreas do cerrado, o complexo das lagartas tem papel de destaque. Estre trabalho visa estudar como a lagarta Spodoptera frugiperda afeta o metabolismo da soja através da herbivoria. A resposta metabólica da soja será avaliada através de análises metabolômicas por RMN e Quimiometria. A geração de conhecimento sobre o perfil metabolômico da soja em resposta ao estresse biótico gerado por S. frugiperda estabelece pesquisa-base que ajuda a entender a interação entre a soja, a lagarta e o ecossistema, e pode contribuir para o desenvolvimento de controles (manejos) mais sustentáveis e também para o desenvolvimento de novas variedades mais resistentes, contribuindo para pesquisas em Biotecnologia.
Palavras-chave
   RMN, Quimiometria, Metabolômica, Glycine max, Spodoptera
Público-Alvo
  
Situação
  Atividade COM RELATORIO FINAL
Contato
  
«« Voltar