«« Voltar
Avaliação das notificações da sífilis congênita, sífilis em gestante e HIV/ AIDS na população indígena de Mato Grosso do Sul realizadas: no SINAN e no Distrito Sanitário Especial Indígena
Protocolo do SIGProj:   192866.847.24129.29112014
De:01/11/2014  à  29/10/2015
 
Coordenador-Extensionista
  Zuleica da Silva Tiago
Instituição
  UFMS - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Unidade Geral
  CCBS - Centro de Ciências Biológicas e da Saúde
Unidade de Origem
  PPGSF - Aluno(a) do Programa de Pós-Graduação em Saúde da Família
Resumo da Ação de Extensão
  As Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST) são infecções transmitidas pelo contato direto com o indivíduo contaminado ou através de transmissão vertical entre mãe e filho. Os casos estão restritos às pessoas sexualmente ativas, atingindo homens e idosos, porém as mulheres são mais susceptíveis e vulneráveis, devido à anatomia do órgão reprodutor. Entre as complicações associadas às DST estão a: infertilidade, transmissão vertical, perdas gestacionais ou doenças congênitas e o aumento do risco pela infecção do HIV (BRASIL, 2006). O SINAN foi concebido, originalmente, para armazenar, a partir de instrumentos e códigos de acesso padronizados em nível nacional, as informações de doenças de notificação compulsória (ANEXO A), sendo permitidas às unidades federadas incluir notificações de outros agravos, adequando o sistema ao perfil epidemiológico de populações distintas (LAGUARDIA et al., 2004). Este projeto avaliará os dados registrados notificados no sistema de informação do DSEI MS e aqueles registrados no SINAN referentes à sífilis congênita, sífilis em gestante e HIV/Aids. O objetivo desta avaliação é verificar a existência de subnotificações no SINAN em relação às DST em indígenas no MS.
Palavras-chave
   Sífilis, HIV, Saúde Indígena
Público-Alvo
  
Situação
  Atividade COM RELATORIO FINAL
Contato
  
«« Voltar