«« Voltar
O SIGNO ARQUITETÔNICO: UMA PROPOSTA DE LEITURA PELA SEMIÓTICA DE C. S. PEIRCE
Protocolo do SIGProj:   191214.847.3432.19112014
De:29/11/2014  à  29/08/2015
 
Coordenador-Extensionista
  Janir Rodrigues da Silva
Instituição
  UFMS - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Unidade Geral
  CCHS - Centro de Ciências Humanas e Sociais
Unidade de Origem
  PGEL/CCHS - Aluno(a) do Programa de Pós-Graduação em Estudos de Linguagens
Resumo da Ação de Extensão
  A teoria dos signos de Charles Sanders Peirce (1839-1914) oferece um meio lógico de análise dos processos de semiose que pode ser utilizado para observar tipos diversos de fenômenos sígnicos. Assim, entendida de forma heurística, é possível divisá-la como um guia para o pesquisador no reconhecimento do seu campo de pesquisa. Começando pelos aspectos qualitativos dos signos enquanto aparência até a sua consecução como uma forma de conhecimento, o desenrolar do processo significativo deixa explícito camadas de informação que não são acessadas num primeiro olhar. Além disso, através da análise semiótica podemos reconhecer a importância do intérprete na produção de significado, pois os interpretantes lógicos dos signos atualizam o poder significativo desses signos por meio da influência, também, do repertório do intérprete. Nossa proposta com esta pesquisa é explorar as possibilidades de uso dessa teoria, à medida que ela se oferece como uma metodologia de análise sígnica, na leitura dos signos artísticos, com ênfase na arquitetura, colaborando assim com outros estudos para demonstrar que a semiótica de Peirce pode ser vista como um modelo geral pelo qual podemos dar os primeiros passos na investigação de um objeto. Utilizando-se da fachada do Palácio Popular da Cultura, em Campo Grande-MS, a proposta tenta estabelecer e aplicar uma estratégia de análise que faça uso da classificação dos signos propostas por Peirce. A relação evolutiva entre os tipos de signos orienta uma metodologia de interpretação do(s) signo(s) arquitetônico(s) presentes nessa obra, que vai considerar desde as nuances qualitativas da fachada até suas relações simbólicas.
Palavras-chave
   intérprete, interpretação, semiótica aplicada, arquitetura
Público-Alvo
  
Situação
  Atividade COM RELATORIO FINAL
Contato
  
«« Voltar