«« Voltar
Intervenção Precoce para Bebês de Risco
Protocolo do SIGProj:   184342.793.99760.13082014
De:30/09/2014  à  29/09/2015
 
Coordenador-Extensionista
  Daniele de Almeida Soares Marangoni
Instituição
  UFMS - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Unidade Geral
  CCBS - Centro de Ciências Biológicas e da Saúde
Unidade de Origem
  GAB/CCBS - Gabinete do Diretor
Resumo da Ação de Extensão
  O Ministério da Saúde, por meio da linha de “Acompanhamento do Recém-Nascido de Risco” , destaca a necessidade da identificação de crianças de risco e da detecção e abordagem precoces de alterações no seu desenvolvimento neurosensoriomotor. São bebês de risco aqueles que apresentam fatores biológicos, estabelecidos ou sócio-ambientais durante os períodos pré-natal, peri-natal ou pós-natal, como prematuridade, hipóxia/anóxia, síndromes genéticas, malformações congênitas e carência de estimulação do ambiente. Tais fatores podem prejudicar o desenvolvimento neurosensoriomotor típico. Por isso, esses bebês necessitam de intervenção sensoriomotora fisioterapêutica tão logo estejam clinicamente estáveis e o fator de risco seja identificado, como meio preventivo ao agravamento e instalação de sequelas funcionais que levam à incapacidade motora. Neste sentido, a presente proposta é destinada a bebês de 0 a 2 anos de idade com risco para alterações no desenvolvimento neurosensoriomotor com encaminhamento clínico para intervenção sensoriomotora precoce. O projeto visa acolher e atender esses bebês e orientar/capacitar seus pais e cuidadores sobre a continuidade dos cuidados e intervenção quando estiverem em casa. Serão utilizadas estratégias de educação em saúde e métodos e técnicas de avaliação e intervenção sensoriomotora fisioterapêuticas, com duração de 1 hora para cada bebê/família uma vez por semana. Com este projeto, espera-se beneficiar a comunidade de bebês, pais e cuidadores de Campo Grande que necessitam de serviço público de seguimento fisioterapêutico precoce, em especial após alta hospitalar após o nascimento. Além disso, espera-se integrar alunos da graduação e pós-graduação com vivências práticas e pesquisas científicas acerca da Fisioterapia em Saúde da Criança.
Palavras-chave
   intervenção precoce, desenvolvimento infantil, saúde da criança, bebê de risco.
Público-Alvo
  Lactentes, de 0 a 2 anos de idade, com risco biológico (ex.: nascimento prematuro, hipóxia/anóxia neonatal, hiperbilirrubnemia, alterações no ultrassom craniano) ou risco estabelecido (ex.: síndromes genéticas, malformações congênitas) para alterações no desenvolvimento neurosensoriomotor.
Situação
  Atividade COM RELATORIO FINAL
Contato
   daniele.soares@ufms.br (67) 3345-7832
«« Voltar