«« Voltar
Identificação das mutações de resistência antiviral para inibidores de protease (NS3/4A) e polimerase (NS5B) em pacientes cronicamente infectados pelo vírus da hepatite C
Protocolo do SIGProj:   182568.847.110095.30062014
De:31/07/2014  à  29/03/2016
 
Coordenador-Extensionista
  Luiz Fernando Paiva Dorisbor
Instituição
  UFMS - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Unidade Geral
  FAMED - Faculdade de Medicina
Unidade de Origem
  PPGDIP - Programa de Pós-Graduação em Doenças Infecciosas e Parasitárias
Resumo da Ação de Extensão
  A hepatite C é a segunda infecção viral crônica mais comum no mundo, com uma prevalência global de aproximadamente 180 milhões de pessoas. É classificada em 7 genótipos principais e múltiplos subtipos. Atualmente o tratamento da infecção crônica pelo HCV consiste na associação do interferon peguilado alfa 2a ou alfa 2b (pegIFN) com a ribavirina (RBV) ou em algumas situações do interferon alfa 2a ou alfa 2b (IFN) convencional com a RBV. No entanto cerca de 50 a 60% dos pacientes com os genótipos 1 e 4 não obtêm uma resposta virológica a estes medicamentos. Recentes avanços na biologia molecular têm levado ao desenvolvimento de novas moléculas que têm como alvo proteínas específicas integrantes do ciclo replicativo do vírus. Estes medicamentos atuam inibindo principalmente proteases não-estruturais NS3/4A, NS5B polimerase, e os inibidores da NS5A. Com isso, o presente estudo busca identificar a prevalência de mutações nas enzimas específicas de replicação do vírus em pacientes cronicamente infectados e que são considerados virgens de tratamento com intérferon peguilado, ribavirina ou qualquer outro medicamento anti-HCV.
Palavras-chave
   Hepatite C, Mutações, Proteases, Polimerase.
Público-Alvo
  
Situação
  Atividade COM RELATORIO FINAL
Contato
  
«« Voltar