«« Voltar
EFICÁCIA DE USO TÓPICO DE EXTRATO DE SEBASTIANIA HISPIDA EM MODELO DE FERIDA INFECTADA POR STAPHYLOCOCCUS AUREUS
Protocolo do SIGProj:   181991.847.211628.23062014
De:29/06/2014  à  29/10/2015
 
Coordenador-Extensionista
  Jéssica de Araujo Isaias Muller
Instituição
  UFMS - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Unidade Geral
  FAMED - Faculdade de Medicina
Unidade de Origem
  PPGDIP - Programa de Pós-Graduação em Doenças Infecciosas e Parasitárias
Resumo da Ação de Extensão
  A cicatrização de feridas contaminadas requer um longo período de tratamento. Devido à resistência bacteriana, as plantas medicinais surgem como método alternativo. Dentre essas plantas está a Sebastiania hispida que é utilizada popularmente no tratamento de feridas. O objetivo será avaliar a eficácia do uso tópico de S. hispida em modelo de ferida infectada por Staphylococcus aureus. A partir das folhas de S. hispida será preparado o extrato bruto etanólico. Esse extrato será fracionado e uma substância isolada. Posteriormente, a partir do extrato bruto etanólico e da fração, será realizado o teste in vitro da atividade antibacteriana frente à uma cepa de S. aureus resistente. No teste in vivo da atividade cicatrizante, o projeto foi autorizado pela Comissão de Ética no Uso de Animais da Anhanguera Educacional Ltda.–CEUA/AESA (Parecer:2941). Os animais serão ratos Wistar machos (mantidos em condições controladas de luminosidade e temperatura, recebendo água e ração ad libitum). Serão sete grupos teste (com dois pontos de checagem), com 6 animais cada, dando um total de 84 animais, sendo tratados diariamente. Para a indução da ferida os animais serão anestesiados com Ketamina e Xilazina. A ferida será contaminada com a bactéria S. aureus resistente. Após os períodos de tratamento será realizada a análise macroscópica da ferida com posterior eutanásia dos animais para a análise histológica. Para o cálculo estatístico o nível de significância será de 5%. Espera-se com este trabalho, obter uma pomada eficaz na cicatrização de feridas contaminadas, podendo ser comercializada com baixo custo, quando comparado com formulações sintéticas.
Palavras-chave
   cicatrização, planta medicinal, Staphylococcus aureus
Público-Alvo
  
Situação
  Atividade COM RELATORIO FINAL
Contato
  
«« Voltar