«« Voltar
Melatonina e Catecolaminas plasmáticas, Atividade elétrica cerebral e Atividade autonômica cardíaca durante Experiências anômalas em um Contexto religioso
Protocolo do SIGProj:   176822.847.206712.08042014
De:14/03/2014  à  30/07/2016
 
Coordenador-Extensionista
  Marco Aurélio Vinhosa Bastos Junior
Instituição
  UFMS - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Unidade Geral
  FAMED - Faculdade de Medicina
Unidade de Origem
  PPGSD - Programa de Pós-Graduação em Saúde e Desenvolvimento na Região Centro Oeste
Resumo da Ação de Extensão
  Experiência anômala(EA) é um termo que tem sido proposto para nomear, sem assumir implicações psicopatológicas, vivências incomuns ou que se acredita serem diferentes do habitual ou das explicações usualmente aceitas como realidade: alucinações, vivências interpretadas como telepáticas, dentre outras. Dentre as diversas EA, surge o conceito de Transe e Possessão (F44.3 na Classificação Estatística Internacional de Doenças [CID-10], da Organização Mundial de Saúde), definidos como transtornos caracterizados por uma perda transitória da consciência de sua própria identidade, associada a uma conservação perfeita da consciência do meio ambiente. Porém, no documento, é feita a ressalva de que devem ser incluídos nessa classificação somente os estados de transe involuntários e não desejados, excluídos aqueles de situações admitidas no contexto cultural ou religioso do sujeito. Poucos estudos publicados demonstraram alterações fisiológicas características durante vivências de meditação, religiosidade intensa e dissociação, sob o aspecto neuroeletrofisiológico e hormonal (19, 20, 21). Um dos achados é a elevação do nível plasmático de melatonina (34,35,36,37), que é o principal produto secretório da glândula pineal. O presente estudo será realizado na cidade de Campo Grande/MS e tem por objetivo principal analisar a presença de alterações da concentração de melatonina e catecolaminas plasmáticas, da atividade elétrica cerebral e da atividade autonômica cardíaca em resposta à experiência de transe dissociativo ocorrido em indivíduos adeptos da religião espírita e portadores de mediunidade psicofônica (os quais alegadamente falam sob a influência de espíritos), comparando os resultados com aqueles obtidos em indivíduos do mesmo contexto sociocultural mas que não experimentam tais experiências anômalas.
Palavras-chave
   Melatonina plasmática, Catecolaminas plasmáticas, Eletroencefalografia, Transe, Espiritualidade
Público-Alvo
  
Situação
  Atividade COM RELATORIO FINAL
Contato
  
«« Voltar