«« Voltar
Projeto habitacional em situação de conflito: Vila Esperança
Protocolo do SIGProj:   171630.781.35490.12022014
De:28/02/2014  à  30/12/2014
 
Coordenador-Extensionista
  Regina Bienenstein
Instituição
  UFF - Universidade Federal Fluminense
Unidade Geral
  PROEX - Pró-Reitoria de Extensão
Unidade de Origem
  NEPHU - Núcleo de Estudos e Projetos Habitacionais e Urbanos
Resumo da Ação de Extensão
  O Núcleo de Estudos e Projetos Habitacionais e Urbanos- Nephu- UFF, sempre pautou seus trabalhos sobre o paradigma de que a moradia não se restinge à unidade habitacional, mas inclui também o acesso a serviços e infraestrutura adequados, elementos fundamentais para o desenvolvimento de populações submetidas à precariedade urbana. Com base neste princípio, esta proposta está voltada para a assessoria técnica e social da comunidade Vila Esperança, atualmente em situação de conflito, sofrendo com a extrema dificuldade para implantar ações sustentáveis em seu território. Compreende o desenvolvimento dos estudos e projetos técnicos necessários para consolidar a comunidade com condições urbanísticas, ambientais e jurídicas adequadas, além do apoio nas negociações políticas voltadas para o atendimento das demandas dos moradores. Para isso, propõe-se a integração do saber teórico da Universidade e o saber popular da comunidade atendida, para que juntas busquem a solução dos problemas enfrentados. A metodologia adotada está baseada na construção de um espaço de diálogo permanente junto à comunidade, enfatizando a responsabilidade dos mesmos na superação das adversidades presentes no território.
Palavras-chave
   Habitação, urbanização, assentamentos populares precários
Público-Alvo
  Vila Esperança está situada às margens da rodovia federal BR-101, no município de São Gonçalo, estado do Rio de Janeiro. Desde sua origem, pela ocupação espontânea da terra por parte dos atuais moradores, encontra-se em situação de vulnerabilidade habitacional e social, devido ao completo descaso do poder público. O processo de regularização fundiária de Vila Esperança, concluído em 2007, foi resultado direto da ação dos moradores e de suas lideranças, com assessoria do Nephu. Sua mobilização e pressão foram capazes de alavancar, junto à administração municipal, estadual e federal, os recursos necessários à concretização do projeto. Em relação ao perfil dos moradores, foi possível analisar os seguintes dados: 54% das familias são formadas por homens e mulheres, 36% são chefiadas apenas por mulheres, 28% monoparentais femininas, 8% unipessoais femininas e 10%, apenas por homens. Em relação a escolariedade: 62% possuem o Ensino Fundamental incompleto, 13% Ensino fundamental completo, 6,0% Ensino Médio completo, 12,0% Ensino Médio Incompleto, 1% Ensino superior, 1% Ensino superior incomplento, 5% são analfabetos.
Situação
  Atividade EM ANDAMENTO
Contato
   Regina Bienenstein, bienenstein2012@gmail.com
«« Voltar