«« Voltar
Diagnóstico situacional da saúde dos pescadores artesanais da Baia da Ilha Grande
Protocolo do SIGProj:   171118.781.114247.13022014
De:31/03/2014  à  30/12/2014
 
Coordenador-Extensionista
  Augusto Cesar Freire Coelho
Instituição
  UFF - Universidade Federal Fluminense
Unidade Geral
  PUVR - Polo Universitário de Volta Redonda
Unidade de Origem
  VPS - Departamento de Psicologia de Volta Redonda
Resumo da Ação de Extensão
  O projeto 'Diagnóstico situacional da saúde dos pescadores artesanais da Baía da Ilha Grande' é o primeiro passo de uma intervenção de longo prazo na saúde e na situação social do pescador artesanal da Baía da Ilha Grande. O foco é essa população dispersa em localidades de difícil acesso, com pouca possibilidade de utilizar os equipamentos de saúde oferecidos pelas prefeituras. Devido ao caráter artesanal da atividade da pesca, é uma população desinformada sobre direitos trabalhistas e garantias sociais. A pesca artesanal sujeita o pescador a situações ambientais, sociais e psicológicas muito frequentemente deletérias à sua saúde. O projeto pretende resolver a inconsistência vigente nas informações sobre a situação da saúde dessas comunidades. Os dados oficiais ressaltam equipamentos especialmente arquitetados para essa população, quantificando atendimentos realizados. Sem refutar diretamente tais dados, as cooperativas de pescadores indicam inadequações nesses equipamentos que dificultam o atendimento ao pescador artesanal (equipamentos continentais, com horários incompatíveis com a atividade pesqueira, por ex.). Pescadores não cooperativados, por sua vez, sublinham o enviesamento político das cooperativas, oferecendo dados muitas vezes diferentes das fontes citadas acima. A extensão é proposta em parceria com as ações organizadas pelo Núcleo de Pesquisa Aplicada em Pesca e Aquicultura (NUPA Sudeste II), sendo o proponente da presente ação um dos representantes da UFF no NUPA SEII, coordenando a rede de Ações Sociais. Essa parceria favorece o emparelhamento das intervenções em saúde com intervenções relativas à gestão do conhecimento, à realização de avaliações sócio-econômicas e ambientais dos grupos sociais e da região alvo.
Palavras-chave
   Saúde do trabalhador, pesca artesanal, Baía da Ilha Grande.
Público-Alvo
  O público alvo do projeto é composto pelos pescadores artesanais da Baía da Ilha Grande, especificamente dos municípios de Mangaratiba e Parati. Estimamos ser possível que cada bolsista entreviste diretamente 05 pescadores por visita semanas, de comunidades distintas, realizando, assim, uma amostragem representativa da situação de cada comunidade abordada. De acordo com os dados que já conseguimos levantar na preparação deste projeto, o número total de pescadores cuja situação estará sendo diagnosticada é de cerca de 130 pescadores na Ilha Grande e Ilha da Gipóia, 200 em Parati e 80 em Mangaratiba (excluindo as ilhas). Isso perfaz um total de 410 pescadores artesanais. Pretende-se envolver as turmas de graduação inscritas nas disciplinas de Psicologia e História Social do Trabalho; Trabalho, Subjetividade e Saúde; Políticas de Saúde I e II; Psicologia Aplicada à Saúde Pública e Trabalho, Educação e Saúde, através da apresentação dos resultados parciais do projeto, propondo a análise crítica dos dados e a sugestão de soluções para os problemas que vierem sendo encontrados pela equipe extensionista. Essas seis turmas computam 150 alunos de graduação (duas dessas disciplinas coincidem em uma mesma turma). As prefeituras das cidades envolvidas participam com um contingente de profissionais variados, que se dispuseram a acompanhar e intermediar o acesso aos locais onde se encontram os pescadores, aos próprios pescadores (que não necessariamente acolhem pessoas desconhecidas e se propõem a responder a uma entrevista). Destacam-se os profissionais do Programa da Saúde da Família, que disponibilizaram seus equipamentos, tanto de transporte quanto estrutura física, para que fosse feito o acompanhamento pela equipe extensionista e os funcionários da prefeitura que se dispuseram a fornecer os dados já existentes e a intermediar o contato com as equipes da saúde.
Situação
  Atividade EM ANDAMENTO
Contato
   Augusto Cesar Freire Coelho, coordenador - acfreire@gmail.com; (21) 986689071
«« Voltar